quarta-feira, 7 de maio de 2008

Eu Sou A Cabeça Do Pau Do Jack




Alguns dizem que o Brasil é o país da bunda, carnaval, caipirinha e do sexo.
isso tem fundamento, mas eu acredito que é o país do verão, não por termos
verões extensos e tudo mais e sim porque tudo dura um verão, a descartabilidade
das coisas parece não ter mais limite, temos músicas de verões como "dança do créu",
temos roupas do verão, a tribo do verão mas não é só isso, o Brasil também sempre
foi conhecido por ter seus "crimes de verão", o caso isabela nardoni não é nada
mais do que isso, é algo realmente "estranho"? óbvio, um pai jogar sua filha e tudo mais
é algo estranho/monstruoso, mas lembram de outros crimes de verão? vou lembrar um pouco...


teve o caso do "ônibus 174" em que redes de televisão exibiram aquilo como um reality show
ás 18 hrs da tarde, outro foi o caso "Liana Friedenbach" que foi mantida em cativeiro e
estuprada diversas vezes enquanto o namorado foi assassinado, o caso "João Hélio"
em que uma criança de 6 anos foi arrastada por 7km, o caso de Suzane Von Richthofen
que matou os próprios pais (poderiam junta-la com os Nordoni, família perfeita) todos
esses casos foram chocantes, todos esses casos causaram comoção nacional, foi lindo
ver pessoas dizendo que queriam justiça ante o caso do menino arrastado, agora nós temos
pessoas que se acham no direito de "novelizar" um caso de polícia, a notícia hoje
virou um produto, um produto perecível para consumo imediato, todos os dias o jornal
nasce e morre, notícias não podem ser re-quentadas então eles simplesmente degustam-a
de uma forma mais lenta transformando tudo em um circo, só que o palhaço é quem está
assistindo.

programas de baixa audiência como de fofoca ou até policiais de emissoras que não
possuem grandes audiências no horário tiveram índices altíssimos, pena que essa
vontade por justiça do brasileiro só dure um verão, os políticos que roubaram
dinheiro da saúde foram aplaudidos, chocante? também, chocante é saber que
a cada segundo uma criança morre de fome no mundo e que a produção de comida
que se estraga daria para alimenta-las isso sim é chocante.

"Sociedade Fast-food em uma mídia fast-food
sentem-se chocados, tristes, felizes tudo da mesma forma ,tentam mudar o mundo de forma fast-food, infelizmente em 3 minutos não se faz nada."


Vinícius D'Luca - estudante de Jornalismo e desalmado de plantão.

2 comentários:

N. disse...

Porra, muito boa a idéia do texto, parabéns, bicho.

trotamundos disse...

Parabéns!Pelo texto.