terça-feira, 29 de setembro de 2009

Eu Sou a Esquizofrenia Cinematográfica do Jack I

A vida é curta mas infelizmente ela não é um curta!

infelizmente ela não é um filme e infelizmente ela não é um seriado em que nossos momentos felizes teriam trilhas sonoras, eu realmente acho que trilhas sonoras e alguns efeitos seriam legais...

não que na minha cabeça alguns momentos não tenham tido suas canções e efeitos, lembro muito bem que a uns três a quatro anos eu era muito apaixonado por uma garota e todas as vezes que ela "entrava em cena" tudo ficava em slow motion e tocava "Kiss Me" do Sixpence None The Richer (música essa que ela me mandou, o que fazia o amor platônico aumentar mais e mais), era mágico, tudo acontecia em tons de ciano (e veja que como o windows eu só vejo 32 cores) só que com a saturação baixa, tudo só voltava ao normal quando ela falava comigo, se ela não falasse, só quando ela, com aquele sorriso lindo acenasse pra mim e eu podesse dizer "Mein Gott, ela acenou!" e como qualquer personagem de um filme teen isso me faria dormir com um sorriso.

esses momentos fazem você se sentir como um filme não é?
é como beijar uma garota na chuva e tocar "Iris" do Goo Goo Dolls, eu sei que é clichê!
Mas, como vinho tinto e velas funcionam pra criar clima essa seria o tipo de clichê de se ter no mundo real, seria chupado de "Cidade dos Anjos" mas seria legal.


Você deve estar se perguntando "Que droga, ele seria uma versão real de um Holden McNeil sem a coisa das HQs?"

Mas Hey!
o que você quer de mim?
Eu estou longe de ser um dos irmãos Gecko lutando contra vampiros monstruosos (não os pimbas de Stephen Meyer, eu falo de Salma Hayek com os peitos de fora e cara de cão chupando manga)
Estou longe de ser o Clive Owen fazendo o "Silva-João Ninguém" que sabe atirar e pega a italiana de "Mandando Bala", então caros colegas e leitores, eu fico nas comédias românticas porque seria o máximo que eu conseguiria.

BUT, até mesmo as comédias românticas, romances, dramédias e bromances tem seus atos inverossímeis mas essa é a magia do cinema, lá nós conseguimos coisas que na vida real não acontecem :

* O cara que é legal com a mina e vira brother, fica com ela no final.
* O nerd ganha do fortão.
* Você É especial! (e não vale o que sua mãe diz)

entre outras coisas que poderíamos ficar horas e horas colocando em uma lista infinita!

continuando a divagação que b(y)t(he)w(ay) já foi interrompida pelo meu sério problema em contar um fato de forma linear...

Existiriam muitos momentos da nossa vida que uma trilha sonora daria a dramaticidade necessária, digo que depois de "Os Infiltrados" em vários momentos eu imagino que "I'm Shipping Up to Boston" seria uma canção adequada, passaria todo aquele clima de "estou fazendo algo realmente difícil..."

Mas um dia eu vou conseguir ter um grande momento ouvindo a melhor música feita em todo o mundo..."Don't Stop Believing" do Journey!
Ela não é simplesmente uma música comum, ela possui a progressão de acordes mais famosos dos últimos 30 anos e quando o Steve Perry começa a cantar? It's Classical!
é música pra se correr atrás de alguém, eu já expliquei isso pra todos meus amigos e eles já estão cansados da minha cena clichê em que o cara corre atrás da guria que tá indo embora de ônibus na estação da cidade e desiste, é clichê? SIM É! mas se por acaso houvessem os créditos finais nas nossas vidas seria um momento interessante pra anteceder.

É como voltar pra a década de 80 e dançar um baile ao som de "Forever Young", Clichê? ÓBVIO!
Clássico? TAMBÉM!

tem uma cena que junta tudo isso que eu falei aqui mas que na minha cabeça funcionaria muito bem, é mais ou menos assim.

*Em uma chuva forte Sofia corre para se proteger*

Gustavo : Então é isso que você faz? você simplesmente vai embora?
Sofia : Você não entende não é? Nós vivemos em mundos diferentes!
Gustavo : Você tem medo, esse é o seu problema!
Sofia: Medo? *engasga* Medo de que? Nossas diferenças não são bastante?
*Sofia vira e vai embora enquanto Gustavo segura seu braço*
Gustavo: Tem medo de ver que eu não sou maravilhoso e isso te deixa na frente de um abismo!
Eu sou patético, eu sei disso, não preciso da NASA pra me dizer , eu sou óbvio, gosto de "Friends", acho que Ben Affleck foi um dos melhores atores da década de 90, gosto de ouvir hard-rock e cantar no chuveiro, gosto de chocolate e de ver filmes engraçadinhos e isso te encomoda não é? você quer...
*os dois se beijam*

nesse momento começa a tocar "Alive With The Glory Of Love" do Say Anything

o personagem faz um "yeah" com o braço
e aí tem O momento, alguma frase do tipo:

"You Had Me At Hello!"
"You Complete Me"
"I'm Just a Girl, Standing in front of a Boy, Asking Him to love Her."


ou qualquer coisa que a Julia Roberts diria pra te levar pra cama (ou o Hugh Grant).
e óbvio, uma citação a Star Wars, tudo isso aconteceria logo após o beijo e antes do "Fade-In" da música ter sido completado, então seria algo como.

Sofia: Meu medo sempre foi te perder.
Gustavo: Eu sei!

ela faz a frase âncora, ele a citação da trilogia divina, descem os créditos e TCHARAM!
It's done!

Clichê ao máximo, mas...clichês são legais, ou pelo menos seriam, se acontecessem.

depois eu viajo mais nessa minha esquizofrenia cinematográfica, juro que na minha cabeça existe o símbolo do "Warner Channel" e as vezes da "HBO" na lateral superior direita, é, eu sou louco.






3 comentários:

zozimo disse...

Eu ainda hj imagino o dia em o mundo vira um musical e ao passar pelo posto de gasolina os frentistas e clientes estarao cantando e dançando... e isso vem de um comentario seu ^^

Vini DLuca disse...

boa idéia!
próximo post será "como a vida seria interessante sendo um musical"

eu falei bastante de trilha sonora nesse, mas no próximo será você cantando a trilha sonora! auhsdasd

Camila Costa disse...

kkkkkkkk sabe o que mais reparei ? que quanto mais nós achamos clichês , clichês, menos eles acontecem.

VocÊ está certo, na minha opinião clichês são aquilo que todos desejam que aconteça, porém se sentem envergonhados de desejar, por isso como você guardam na cabeça apenas.

Você é muito criativo Vini :)